Gravidez Preparação e descoberta Saúde

Pré-natal: que tal falarmos um pouquinho sobre ele?

21 de maio de 2015

Assim que descobrimos a gravidez, é muito importante dar início ao Pré-Natal! Mas o que vem a ser isso? Em que consiste o pré-natal e o que deve ser observado nele? Bom, vamos lá…
O pré-natal consiste no acompanhamento da gestante durante toda a gravidez, por um médico ou por uma equipe de saúde e deve ser iniciado assim que nos descobrimos grávidas ou até mesmo no momento em que decidimos engravidar! Através dos exames de pré-natal, podemos cuidar da nossa saúde e do bem-estar do bebê, evitando diversas doenças e complicações, além de recebermos inúmeras orientações em relação ao que devemos ou não fazer durante o período gestacional!Numa gestação normal, denominada gestação de risco habitual, o Ministério da Saúde recomenda que sejam realizadas, no mínimo, 6 consultas, divididas da seguinte maneira: 1 consulta no 1º trimestre, 2 consultas no 2º trimestre e 3 consultas no 3º trimestre. Recomenda ainda que o intervalo entre as consultas seja de 4 semanas até a 36ª semana e, a partir desse período, que o intervalo seja de 15 dias. Deixo registrado aqui que o pré-natal realizado em consultórios particulares pode variar um pouquinho, no que diz respeito ao número de consultas e intervalos entre elas, de acordo com a conduta de cada médico!
Durante as consultas de pré-natal, o médico avalia o nosso estado nutricional, a nossa saúde como um todo, bem como a evolução da gravidez e o estado de saúde do bebê dentro do útero! Inúmeros são os exames realizados e os cuidados prescritos. Realizando um pré-natal de qualidade, a mamãe tem a chance de minimizar os efeitos de uma determinada complicação, por exemplo, sobre si mesma e sobre o bebê. Pois bem… Vamos aos exames então:
1 – hemograma completo: exame que analisa os componentes presentes no sangue, realizado logo na primeira consulta de pré-natal. Dependendo da conduta médica, pode ser pedido novamente no 2º e no 3º trimestres. O hemograma tem uma especial importância por detectar uma possível anemia, uma vez que as gestantes estão propensas à ela, além disso, ajuda a identificar como está o sistema imunológico da mamãe e se há algum tipo de infecção em seu corpo.
2 – glicemia: exame que indica a quantidade de glicose no sangue. Taxas elevadas podem sugerir diabetes gestacional, fazendo com que a gravidez seja acompanhada com mais cautela! Este exame também é pedido logo no início da gestação.
3 – sistema ABO e fator Rh: exame que verifica o tipo de sangue da mamãe e se o fator Rh é positivo ou negativo. Mamães que apresentam fator Rh negativo e ganham bebês com fator Rh positivo podem apresentar um quadro denominado eritroblastose fetal (há risco de o corpo dela produzir anticorpos contra o sangue do bebê). Assim, com a realização desse exame, é possível impedir a produção dos anticorpos com medicação específica. Este exame também é solicitado na 1ª consulta de pré-natal e não precisa ser repetido.
4 – sorologia para HIV e VDRL: exames pedidos logo no início da gestação, que mostram se a mamãe apresenta as doenças aids (HIV) e sífilis (VDRL). É muito importante que sejam pedidos no 1º trimestre, pois, em caso positivo há tempo de se tratar e evitar a transmissão da doença para o filho.
5 – reação para toxoplasmose e rubéola: exame feito no início do pré-natal e repetido no 3º trimestre. A toxoplasmose pode provocar sequelas para o feto e malformações, por atacar e destruir tecidos. Já a rubéola pode trazer complicações neurológicas, cegueira e surdez para o bebê. Esses exames indicam se a mamãe já teve algum contato com os causadores dessas duas doenças.
6 – sorologias para hepatite B e C e para citomegalovírus: esses exames verificam se a mamãe está com alguma dessas doenças. Feitos no 1º trimestre e repetidos no 3º. O citomegalovírus é uma doença mais rara, mas as hepatites B e C podem ser passadas para o bebê.
7 – urina: exame realizado para verificação de alguma infecção urinária na mamãe, mesmo que ela não sinta nada! Pode ser realizado nos três trimestres. A infecção urinária deve ser tratada o mais precocemente possível pois pode afetar a saúde da mamãe e até causar um parto prematuro.
8 – fezes: realizado no início do pré-natal e mostra se a gestante está com alguma verminose.
9 – ultrassonografia: alguns especialistas afirmam que numa gestação normal não são necessárias mais do que 4 ultrassonografias. Conheço mamães que adoram fazer o ultra-som e acabam pedindo ao médico que faça a solicitação do exame mais vezes! Durante a minha gestação fiz somente aqueles necessários para os cuidados com a gravidez! Acho que não foram mesmo mais de quatro.
Bom pessoal, esses são os exames básicos para a realização de um pré-natal de qualidade! E é muito importante que todas as mamães o façam, pois todo o comportamento dela influencia na vida do bebê! As orientações médicas devem ser seguidas e os exames realizados, assim, mamãe e bebê tem maiores chances de terem uma saúde garantida durante os noves meses de gestação. E ainda, mamãe e papai podem tirar suas dúvidas e obter respostas às suas indagações e inseguranças! Eu posso garantir que quanto mais seguros nos sentimos, mais condições teremos de cuidar dos nossos pequenos! Também durante o pré-natal, os médicos e a equipe de saúde podem identificar complicações diminuindo assim a chance de problemas para a mamãe e para o bebê, tanto no período gestacional, quanto após o nascimento da criança!
Neste post, eu conto um pouquinho de como me preparei para a gravidez e para um período gestacional tranquilo! Posso me considerar uma mulher disciplinada, segui direitinho todas as recomendações, me preocupava com a minha alimentação e com a realização de exercícios físicos! Aqui, falo mais precisamente sobre isso!
Espero que tenha esclarecido um pouco sobre toda essa questão do pré-natal que é de grande importância pra todas nós! Não deixem de fazer viu meninas?
Beijinhos,
Tati Carvalho

As explicações sobre todos esses exames foram retiradas do site www.minhavida.com.br

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply