Alimentação Amamentação Desenvolvimento Filhos

Obesidade infantil – um problema sério que se alastra

22 de março de 2015

Obesidade infantil! Ela existe gente! E seus dados tem sido alarmantes! Você sabia que a obesidade infantil atinge 42 milhões de crianças com menos de 5 anos de idade pelo mundo? Considerada uma epidemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), transformou-se num problema sério, que se alastra e já atinge parte expressiva da população nessa faixa de idade. A obesidade infantil ocorre quando uma criança está acima do peso normal para sua idade e altura. Infelizmente, atualmente uma em cada três crianças no Brasil está pesando mais do que deveria.

Dois são os fatores que mais contribuem para esses dados tão tristes: a genética e, principalmente, os maus hábitos alimentares! Mas não podemos esquecer também do sedentarismo! Sabemos hoje que muitas crianças passam horas na frente da televisão e não fazem qualquer tipo de atividade física! O fato é que a preocupação vai além da estética gente… As crianças com sobrepeso corporal acabam sendo discriminadas pelos coleguinhas e podem apresentar complicações até a sua vida adulta. Doenças como diabetes, hipertensão e colesterol alto são algumas consequências da obesidade infantil não tratada. A doença também pode levar a baixa autoestima e a depressão. O comportamento dos pais tem grande influência na prevenção de um quadro desses e no tratamento do mesmo, pois como dito anteriormente, a obesidade infantil também tem ligação com os hábitos alimentares da criança e da família, bem como com a realização de atividades físicas. Portanto, acredito que o controle da obesidade infantil começa em casa, com refeições balanceadas, estímulo à atividade física e mudança dos hábitos alimentares de toda a família. Um dos grandes vilões da história é o açúcar, introduzido de forma precoce na vida das crianças! Tenho visto por aí estudos que relatam, por exemplo, que 56% dos bebês tomam refrigerante frequentemente antes do 1º ano de vida, e ainda, que, a partir dos 6 meses, 20,7% deles já consomem sucos artificiais! Custo acreditar nisso! Eu procuro estar sempre atenta a alimentação da minha pequena! O açúcar é algo que ela consumiu poucas vezes, num bolo ou biscoito que come nos finais de semana ou, raramente, durante a semana! Nunca tomou sucos artificiais e refrigerantes! E ainda não conhece o grande “prazer” de se deliciar com um sorvete, um chocolate ou um doce. rsrs!!! Ainda… Eu acho que assim estou contribuindo para que ela tenha uma saúde legal e adquira bons hábitos alimentares! Sei que alguns pais encontram-se preocupados com a doença em questão e, se você é um desses, pode buscar ajuda com um especialista, tais como, pediatra, endocrinologista, nutricionista ou um nutrólogo! Além disso, pode começar mudando os hábitos alimentares de toda a família, se isso for necessário! A criança costuma imitar o adulto e, assim, se você tem hábitos saudáveis, certamente seu filho irá seguir seus bons exemplos! Exercícios físicos são essenciais e devem ser incentivados! Importante também que estejam aliados às brincadeiras! Correr, nadar e pedalar são os mais indicados para a criançada, pois além de diversão, trazem benefícios para o corpo e para a saúde dos pequenos! Lembrando aqui pessoal que incentivar é importante, mas devemos nos preocupar também com o prazer pela atividade física! As habilidades e as vontades dos filhos devem ser respeitadas. Minha menina, como toda e qualquer criança, adora correr! Fez natação por um período de tempo e se diverte bastante na piscina do vovô! Quero levá-la novamente para as aulas de natação, pois considero um dos melhores exercícios para uma criança! Enfim, se depender de incentivos, ela será uma adepta das atividades físicas e também dos bons hábitos alimentares! Acho que nós, pais, temos um papel fundamental nisso! Somos os maiores exemplos para os nossos pequenos, não acham? E por aí pessoal? Atividades físicas em dia? Fácil controlar as guloseimas do dia a dia? Contem um pouquinho pra gente de como acontece com vocês!

Beijinhos,

Tati Carvalho

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply Natália Ávila 22 de março de 2015 at 19:15

    Muito bom, Tatiana! Como você disse, o exemplo dos pais tem um sido um grande problema. Querem que os filhos comam coisas saudáveis mas eles mesmo não comem. E muitos dão alimentos industrializados por serem mais práticos, já que não têm muito tempo pra poderem preparar tudo bonitinho.
    Tem um programa na GNT que chama “Socorro! Meu Filho come mal”, não sei se você já viu. Eu adoro assistir e ensina bastante como educar uma criança desde cedo ou como corrigir os problemas que estão existindo. Um abraço.

  • Reply Tati Carvalho 22 de março de 2015 at 22:11

    Ei Natália! Já ouvi sim falar sobre esse programa, mas acredita que ainda não vi? Vou procurar por ele! Em relação à alimentação, hoje em dia é mesmo bem complicado! A correria pode fazer com que as pessoas comam mal, mas devemos tentar nos organizar para que isso não ocorra sempre! Porque, com certeza, somos exemplos! Beijinhos pra vc! E volte sempre viu?

  • Reply Antonio Romulo Jr. 24 de março de 2015 at 15:36

    Esse Programa que a Natália bem lembrou é interessante e há uma intervenção de uma profissional nos mais “crescidinhos”. Essa intervenção é bem bacana e influencia o ritmo de vida da “casa” como um todo. Para os pequenos realmente o “exemplo” é o grande aliado!

    • Reply Tati Carvalho 24 de março de 2015 at 17:49

      Pois é Toninho!!! Quero muito ver esse programa! Vou procurar! Beijinhos!

    Leave a Reply