Desenvolvimento Filhos

Um viva ao papai de hoje

4 de março de 2015

Quero contar um pouquinho da nossa história em relação aos cuidados com a minha Luana, desde que ela nasceu! Achei que seria um assunto de grande importância, pois hoje percebemos uma grande mudança na figura do papai! Não acham? Há um tempo atrás, tínhamos o pai como o “provedor do lar”. Era ele quem fazia todas as despesas da casa, era ele quem tomava as decisões mais importantes, era à ele que os filhos deviam obediência e respeito, um pouco relacionados ao medo. Pois bem, acho que hoje acontece um pouquinho diferente! O homem pai acabou percebendo que o vínculo com o seu filho é muito importante para ambos! E sua participação é mais intensa desde a fase do pré-natal! E como é gostoso ter a presença do papai nas consultas e exames a serem realizados! Não é mesmo mamães?

Por isso, acho essencial que a mamãe vá, aos poucos, dando espaço e valorizando a forma como o homem cuida do seu filho! Sei que, às vezes, isso pode ser um pouquinho difícil, mas é necessário! Quando o bebê nasce, nos sentimos totalmente envolvidas por aquele serzinho e a nossa vontade de deixá-lo “debaixo das nossas asas” é enorme! Eu tinha um desejo absurdo de me sentir necessária sempre! Não gostava da ideia de outras pessoas sanarem as vontades e as necessidades da minha Luana! Assim, podemos impedir que o pai se aproxime de verdade! Eu tomei muito cuidado em relação a isso! Fui muito alertada pela minha mãe! Ela sempre me dizia para incluir meu marido nas atividades com a minha boneca e assim eu fiz! Banhos, troca de fraldas, cuidados com o umbigo, passeios de carrinho, dentre outras coisas… E ele adorava! Sempre muito carinhoso e cuidadoso com ela! Além de ser excelente para o desenvolvimento do bebê, a participação do pai também nos ajuda demais, numa fase onde existe um grande desgaste físico e, até mesmo, emocional!

Minhas preocupações em relação ao cuidados dele para com ela se deviam também ao fato de que um dia eu voltaria ao trabalho! Então, nada mais sensato fazer com que tudo se ajeitasse o quanto antes! Eu trabalharia bem mais tranquila se sentisse firmeza na relação dos dois!

A verdade é que temos que reconhecer nossos limites, acreditar que a participação do papai é essencial e que eles são capazes! Por isso, devemos incentivar, elogiar, valorizar… Uma coisa é certa: se a gente não abre espaço, eles se distanciam um pouco! E, na minha opinião, não estão errados em agir assim! Claro que não podemos generalizar, mas pela minha experiência, pelas trocas de informações e pelo que posso presenciar em outras famílias, geralmente é o que acontece! E aí, tantas coisas são perdidas, como um maior vínculo entre pai e filho, como a vida em família propriamente dita, na divisão das tarefas, na realização das atividades do dia a dia, por exemplo! Muitos são os prejuízos! Outra coisa que preciso e quero deixar claro: não significa que uma criança que não viva com o pai vá crescer infeliz ou insegura, ok? A figura do pai pode ser representada por um tio ou por um avô, por exemplo!

Por aqui as coisas aconteceram de forma tranquila, apesar do meu desejo absurdo de me sentir necessária sempre! rsrs… A psicopedagoga Irene Maluf, conselheira da Associação Brasileira de Psicopedagogia aborda muito bem o assunto quando diz que “Todo mundo precisa de um modelo e de muito treino para adquirir autoconfiança em uma situação nova. E, nesse meio tempo, muitas fraldas ficarão mais ou menos mal colocadas. Mas se o ambiente entre os pais for afetuoso e a criança receber atenção e carinho, ela certamente não terá do que reclamar”!
Então, que tenhamos tranquilidade! Que possamos passar segurança e credibilidade aos papais de hoje! Todos só temos a ganhar com isso! Não acham? Olhem a minha duplinha aí gente!


Beijinhos,
Tati Carvalho

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply Leticia Garcia 5 de março de 2015 at 10:51

    Lindo texto!

  • Reply Lary Zorzenone 15 de março de 2015 at 22:32

    Olá Tati
    39 semanas aqui, reta final. Desde o começo, tento sempre incluir maridinho em tudo: consultas, ultra sonografias, exames, escolhas de roupinhas para levar a maternidade… É bem legal ver como ele tem interagido e que está tão ansioso quanto eu.
    Vidas em Preto e Branco 

    • Reply Tati Carvalho 15 de março de 2015 at 23:24

      Oi Lari! Que legal! Bom assim né? Ficamos tão mais seguras! Boa sorte pra vc nesse finalzinho! E não deixe de dar notícias, viu?

  • Reply sergio ricardo carvalho 26 de junho de 2015 at 07:37

    muito bom linda!!!amo vcs!!!

  • Leave a Reply