Desabafos Vida de mãe Vida de mãe e profissional

Você tem alguma ocupação? Ou é só mãe?

10 de outubro de 2014

Achei um texto tão lindo e tão interessante, que não podia deixar de trazer para o meu blog!!! Deem uma olhadinha aí! É fantástico…

Na porta de uma  escola, uma mãe se aproximou de uma amiga e disse “Sabe o que eu e você somos?”, e antes que a amiga respondesse, ela mesma respondeu. Vinha de uma repartição onde foi renovar sua carteira de motorista. Quando o funcionário lhe perguntou a sua ocupação, ela não soube responder. Assim, o funcionário lhe disse: “me refiro se a Senhora trabalha ou é simplesmente uma…? “Claro que trabalho”, lhe contestou, “sou uma mãe!” O atendente lhe respondeu: “não posso por mãe como opção, vou colocar dona de casa”. Foi a resposta enfática dele. A amiga havia esquecido essa história, até que um dia passou exatamente pela mesma situação!

A funcionária era uma mulher executiva, eficiente, elegante e tinha um crachá sobre o peito onde estava escrito “Entrevistadora Oficial”. “Qual sua ocupação?”, ela perguntou? As palavras simplesmente começaram a sair de sua boca: “Sou uma Pesquisadora Associada no Campo do Crescimento, Desenvolvimento Infantil e Relações Humanas”. A funcionária, perplexa, olhou para a mãe como se não tivesse entendido. Repetiu o título lentamente, pondo ênfase nas palavras mais importantes. Logo, observou assombrada como seu pomposo título era escrito em tinta negra no formulário oficial.”Permita-me perguntar-lhe”, disse a funcionária com ar de interesse, “o que você exatamente faz no campo de pesquisa?” Com uma voz muito calma e pausada, se ouviu sua resposta:”Tenho um programa contínuo de investigação (que mãe não o tem?) no laboratório e no campo (normalmente se costuma dizer “dentro” e “fora” de casa). Estou trabalhando no meu doutorado (a família completa) e já tenho 4 créditos (todas as suas filhas)”. “Evidente que o trabalho é um dos que mais demanda tempo no campo de humanidades (alguma mãe está em desacordo?) e usualmente trabalho umas 14 horas diárias (em realidade são mais, como 24h). Porém, o trabalho tem muito mais responsabilidades que qualquer trabalho simples, e as remunerações, mais que somente econômicas, também estão ligadas à área da satisfação pessoal.”Podia-se perceber uma crescente atitude de respeito na voz da funcionária, enquanto completava o formulário. Uma vez terminado o processo, se levantou da cadeira e pessoalmente acompanhou a “pesquisadora” à porta.  Ao chegar em casa, emocionada por sua nova carreira profissional, saíram a recebê-la 3 de suas “cobaias” do laboratório, de 13, 7 e 3 anos de idade. Do alto, ela podia escutar a seu novo modelo experimental do programa de crescimento e desenvolvimento infantil (de 6 meses de idade), provando um novo padrão de vocalização. Sentia-se triunfante! Havia vencido a burocracia. Havia entrado nos registros oficiais como uma pessoa mais distinguida e indispensável para a humanidade que somente “mais uma mãe”. Maternidade… que profissão mais brilhante. Especialmente quando tem um título na porta.

Traduzido e adaptado por Marcus Renato

Imaginem a situação gente! rsrs… Eu amei!!! ???? Espero que tenham se deliciado também…

Beijinhos,

Tati Carvalho

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply