Filhos Sono

Como foi fazê-la dormir sozinha e durante toda a noite

18 de setembro de 2014

Sei que tem gente bastante ansiosa por este post! Assunto danadinho né? rsrs…Vou contar um pouco do que fiz aqui em casa com a minha Luana! O resultado foi o melhor possível! Então… em seu terceiro dia de vida, ela já estava em nossa casa! E eu, mais que depressa, comecei a colocar em prática o que havia lido e estudado durante os meus 9 meses de gestação. Até completar 7 dias de vida, ela dormiu no próprio carrinho, ao lado da minha cama. Luana acordava por volta das 7h, mamava e logo depois ficava um pouco na cama comigo. Nessa fase da vida do bebê (primeiro mês de vida), eles ainda são muito pequeninos e as atividades ficam um pouco limitadas!

Por volta das 9:30h, 10h ela já estava dormindo de novo! Acordava ao meio dia, mamava novamente e depois de um tempinho eu dava o banho! Pouco tempo depois do banho ela dormia de novo e acordava em torno de 16h. Parece que nesse horário ela estava sempre mais espertinha! Mamava novamente, brincávamos um pouquinho… Às 19h, eu dava outro banho, com uma água bem morninha, mais para quente (era inverno). Após o banho, ela mamava e dormia! Aqui faço uma consideração: nos livros lidos por mim, o ensinamento era que acordássemos o bebê às 22h ou 23h para que ele mamasse mais uma vez, mas eu nunca fiz isso! (por conta e risco próprios). À essa hora eu e papai já estávamos dormindo… Deixei que ela acordasse por ela mesma. Ela acordava às 2h e às 5h da madrugada! Mamava e voltava a dormir logo em seguida! Uma vez ou outra, muito raramente, demorava um pouco para dormir! Nem me lembro muito disso, por ter sido raro mesmo! E assim foi até os 3 meses de vida! Essa era a rotina! Exatamente como mencionei acima! Nessa fase, aos 3 meses de vida, ela começou a mostrar uma certa resistência para dormir às 19h. Acontece que aqui em casa, eu e papai sempre fomos pra cama muito cedo e gostaríamos muito que ela também tivesse esse hábito! Então… hora de “pegar firme” e não ceder nos horários traçados. Foram mais ou menos 10 noites, tentando fazer com que ela dormisse sozinha no berço e no horário estabelecido, 19h! Ela chorava um pouco e eu sempre ao lado do berço, conversando com ela, às vezes cantando! Eu dizia que ela precisava dormir sozinha, que ela era capaz disso! Dizia que eu ficaria ali até que ela dormisse, mas que eu não a pegaria para niná-la! Por muitas vezes eu a retirava do berço, e no meu colo, dava-lhe carinho! Depois de alguns minutos, a colocava no berço novamente e recomeçava todo o processo! Eu não saía do quarto, não a deixava chorando sozinha! Nunca concordei muito com essa técnica! Ficava sempre ao seu lado! Me lembro de um dia, o mais difícil deles, no qual precisei da ajuda do meu marido. Eu já estava por mais de 40 minutos, de pé ao lado do berço, e ela ainda não havia dormido! Meu marido entrou no quarto, se posicionou ao lado do berço e eu fui tomar um ar… (Um sino na cabeça) rsrs… Detalhe importante gente: o marido tem que colaborar! Ele tem que estar disposto a escutar durante algum tempo o choro do bebê! E o meu foi paciente… Me ajudou muito nesse sentido! Outra coisa: se você estiver na casa da sua mãe, ou da sua sogra, ou se alguma delas estiver na sua casa, sinto em lhe dizer, mas, você não vai conseguir! Elas vão retirar a criança do berço e niná-la! rsrs!!! Eu e meu marido estivemos sozinhos durante todo o tempo e isso foi fundamental! Então, voltando… Depois de umas 10 noites de tentativas, ela já não se mostrava mais resistente, ia toda bonitinha acordada para o berço e dormia! MUITO ORGULHO DISSO! Nessa etapa já não acordava mais às 2h da madrugada, somente às 5h! Pronto… 4 meses de vida! E nessa época, li um artigo que falava que os bebês costumam acordar às 5h da madrugada para brincar com eles mesmos e logo depois voltam a dormir! E aí pensei: “Gente, e se eu não for ao quarto da Luana quando ela acordar às 5h? Talvez volte a dormir!” Eu não sabia se ela seria capaz de voltar a dormir, porque, assim que eu escutava os seus barulhinhos, eu ia até o seu quarto para amamentá-la! Então estava resolvido: eu não iria até lá na noite seguinte! Lembro-me que nessa noite seguinte ela chorou, porque eu não fui logo de primeira! Então, acabei me levantando e indo até o seu quarto! Dei de mamar… Tentaria de novo na próxima noite! E assim fiz! Ela acordou e eu não fui até o seu quarto! E adivinhem??? Ela voltou a dormir! A retirada dessa mamada das 5h foi super tranquila! Bendito artigo! rsrs… Hoje, Luana está com 1 ano e 3 meses! Dorme por volta de 20h (sozinha) e acorda às 7h, 7:30h! Ou seja, a tranquilidade reina nessa casa! Desde os seus 4 meses de vida! E eu me orgulho muito disso… Não me canso de dizer! Mas olha só gente, sempre fui muito disciplinada com os horários da Luana! E nesse seu primeiro ano de vida, os nossos horários (meu e do meu marido) baseavam-se muito nos horários que foram estipulados pra ela! Eu não gostava de mudanças na sua rotina! Sei que algumas pessoas não concordam com isso, mas eu não estou nem um pouco arrependida do que fiz! Valeu muito! E acho que vale a pena tentar… Luana tem noites de sono muito tranquilas e isso é super importante para a criança! E aí? Vão tentar? Espero que eu possa ajudar um pouquinho!

Beijinhos,

Tati Carvalho

You Might Also Like

6 Comments

  • Reply Raisa Arruda 18 de setembro de 2014 at 23:20

    Desculpa, mas nem dei continuidade ao texto… O bebê tem necessidade de pele, de toque, ele estabelece vínculo pelo tato, por isso a luta de colocá-lo no colo assim que nasce… Conversar com o bebê, OK, ele vai ouvir a voz da mãe que é conhecida, mas isso não adianta. O que ele quer é colo, porque é no colo que ele sente segurança… Quando eu disse uma vez sobre tratar bebês como mini adultos, eu falava justamente dessa necessidade de transformar os bebês independente antes que eles soubessem pelo menos que o corpo deles não é o mesmo que o da mãe, por isso o colo é tao importante… A criança só começa a perceber que não é extensão do corpo da mãe a partir dos seis meses, e até que internalize essa nova compreensão leva tempo. Não é a nossa vontade e necessidade de dormir que deve prevalecer, mas a importância do contato, e como esse contato da alento. Um discurso não acalma a criança, porque ele não compreende o que é dito, ele compreende a falta e a angustia que ele sente naquele momento, e se ele chora, e por isso… Eu recomendaria os livros da Laura Gutman sobre isso… Mas enfim, cada qual na sua qual. E sao escolhas que dizem respeito à cada um…

    • Reply Tati Carvalho 18 de setembro de 2014 at 23:45

      Ei Raisa! Fico feliz em ver você por aqui novamente! Está desculpada por não ter lido o texto até o final, rsrs… mas será que você chegou na parte em que eu digo que quando ela resistia um pouco mais em dormir, eu a pegava no colo e a acariciava? Eu li alguns livros que falam sobre deixar a criança no berço para que ela aprenda a dormir sozinha! Inclusive dizem que aquilo que a criança sente naquele momento é muito pequeno perto do que ela ganha para o resto da sua vida, mas, como você, eu também não concordo com isso! No post, fiz questão de dizer que ela era acalentada quando chorava e estava irritada! Ela tinha o meu colo, eu estava sempre ao seu lado! Eu só saía do quarto quando ela já se encontrava dormindo! Eu respeito sua posição, até mesmo pela sua profissão, pelo trabalho que faz! Mas eu acho que, em relação as conversas com ela, ao diálogo, ao discurso, eu acredito fortemente que adiantam sim! Acalmam sim! Até mesmo quando estão dentro da nossa barriga, os bebês são capazes de nos ouvir e sentir o que se passa com a gente! Raisa, estou falando tudo isso tomando como base a minha experiência como mãe, a experiência de amigas e as inúmeras leituras feitas durante todo o tempo! Realmente não li os livros da Laura Gutman! Não os conheço, mas pode ter certeza de que procurarei por algum! Leitura nunca é demais… Esse assunto é polêmico sim! São várias as opiniões e eu acho bem legal um debate sobre o tema! Na verdade, eu já esperava por isso! Estou acompanhando suas publicações e gosto muito de saber que passou por aqui! Obrigada mais uma vez! Grande abraço,
      Tati Carvalho

      • Reply Raisa Arruda 19 de setembro de 2014 at 00:03

        Eu li ate mais ou menos essa parte, mas como eu disse, é uma questão cultural muito forte na gente, e não deixa de ser uma escolha também, quando eu disse sobre o discurso, o bebê não compreende o teor, só o sentimento e a sensação que ele está sentindo né… Ela se acalma porque sente alento na tua voz, mas reforço que o bebê nesse momento ainda é muito tátil… Mas como eu disse, cada um no seu cada qual, cada experiência é muito única, subjetiva. E a forma como o bebê vai lidar com isso também é subjetivo demais, mas discordo dos ganhos futuros, o bebê vai crescer e ter tempo de aprender a ser autônomo no tempo dele. Bom, fico feliz de esse espaço ser um espaço de debate! Esse tema é polêmico, porque vai de encontro com questões individuais, mas sempre podemos debater e questionar. E isso é muito válido! 😉 Um beijo!

  • Reply Carminha 21 de setembro de 2014 at 13:01

    Diz o velho ditado: vivendo e aprendendo…
    Após o nascimento de Luana, pude acompanhar a sua renúncia e a de seu esposo em função da disciplina da sua filha.
    Às vezes me perguntava se era certo tamanha renúncia! Sim, pois eu percebia o quanto vocês se privavam da vida social, dos encontros com os amigos, das festas em família. Felizmente, tudo o que é feito com amor e por amor torna-se prazeroso.
    Hoje mais uma vez admiro e aprendo muito com você. Com sua disciplina. Percebo a tranquilidade, a harmonia, a paz existente no doce e abençoado lar de vocês.

    • Reply Tati Carvalho 21 de setembro de 2014 at 14:53

      Eu sei que vc devia se perguntar mesmo! Eu ouvi por várias vezes que nós não deveríamos fazer assim, até mesmo de pessoas bem próximas! Mas nós não demos ouvidos… rsrs!!! Acho que hoje as pessoas compreendem melhor! E eu acho sim que os horários da criança devem ser respeitados nesse 1º ano de vida! E valeu a pena! Obrigada pela participação!

  • Reply Tati Carvalho 4 de outubro de 2014 at 12:45

    Ei Aninha! Que bom q gostou… Então, o calor atrapalha um pouquinho mesmo! Mas só de dormir sozinho já é bom demais né? Parabéns!!!

  • Leave a Reply