Alimentação Filhos

O consumo excessivo de alimentos ultraprocessados

23 de outubro de 2016

Olá mamães e papais,
Hoje trazemos novos aprendizados! Queremos ajudar vocês a deixar a alimentação das crianças mais colorida, prazerosa, cheia de aroma, sabor e afeto, afinal de contas, elas merecem!
A infância é um período importantíssimo para o incentivo de hábitos alimentares saudáveis, que tendem a permanecer durante a fase adulta. Vocês, mamães e papais, são agentes fundamentais nesta tarefa e devem dar bons exemplos!
Para o primeiro post escolhi um tema muito atual: o consumo excessivo de alimentos ultraprocessados. Vocês sabiam que a prevalência de sobrepeso e obesidade está crescendo na população infantil? Um dos fatores que justificam isto é a substituição cada vez maior da alimentação tradicional, rica em alimentos in natura, preparados em casa, por alimentos e bebidas ultraprocessados, que já estão prontos para o consumo.
Para ajudar vocês na hora das compras, trouxemos muitas informações sobre os alimentos ultraprocessados. Aprendendo a identificá-los e conhecendo os malefícios do consumo excessivo, ficará mais fácil deixá-los fora do carrinho. Vamos lá!

O que são alimentos ultraprocessados?
Fabricados pelas indústrias, envolvem diversas etapas e muitos ingredientes: o sal, o açúcar, as gorduras e substâncias produzidas em laboratório, com base em matérias orgânicas como o petróleo e o carvão, como os corantes, os aromatizantes, os realçadores de sabor e vários outros tipos de aditivos.

Por que a indústria usa tantos ingredientes?
É uma estratégia para aumentar a duração, dar cor, sabor, aroma e textura, deixando os produtos extremamente atraentes.

Que alimentos fazem parte deste grupo?
Biscoitos, sorvetes, balas, cereais matinais, bolos prontos e misturas para bolo, barras de cereal, macarrão instantâneo, salgadinho de pacote, refrigerantes, sucos de caixinha, sucos em pó, produtos congelados prontos para aquecimento, empanados tipo nuggets, salsichas e pães que apresentam em sua composição gordura vegetal hidrogenada, açúcar, amido, soro de leite e emulsificantes.

Como fugir deles no supermercado?
É preciso ficar atento aos rótulos! Eles são nossos aliados na hora das compras. Se você encontrar grande número de ingredientes (cinco ou mais) listados no produto, é melhor evitar! Nada de nomes pouco familiares, como gordura vegetal hidrogenada, óleos interesterificados, xarope de frutose, isolados proteicos, agentes de massa, espessantes, emulsificantes, corantes, aromatizantes e realçadores de sabor.

Por que não devemos consumi-los em excesso?
Eles são ricos em gorduras, açúcares e sódio. São fabricados com gorduras que resistem à oxidação e tendem a obstruir as artérias que conduzem o sangue do corpo. É comum também que sejam ricos em óleos vegetais, naturalmente ricos em gordura saturadas e trans. São pobres em fibras, essenciais para prevenção de doenças do coração, diabetes e vários tipos de câncer. São pobres em vitaminas e minerais. Quando consumimos estes produtos, a sinalização de saciedade não ocorre ou ocorre tardiamente e acabamos consumindo mais alimentos do que necessitamos. Além disso TUDO, induzem o hábito e geram dependência.

O que posso fazer para diminuir o consumo destes alimentos?
• Evite fazer compras em locais que vendam somente alimentos ultraprocessados, prefira mercados com hortifrutis e feiras livres;
• Vá para a cozinha e partilhe este momento com as crianças, elas vão adorar e você estará incentivando o consumo de preparações caseiras;
• Planeje-se! Separe um dia da semana para organizar as refeições da semana, para na hora do corre-corre não optar por ultraprocessados, como as lasanhas e outros congelados;
• Conscientize as crianças sobre a função da publicidade. Diga que é utilizada para aumentar a venda e traz informações incorretas e incompletas sobre alimentação e, por isso, devemos evitar os alimentos que elas apresentam;
• Priorize os alimentos in natura ou pratos feitos em casa;
• Ofereça água, leite e frutas no lugar de refrigerantes, bebidas lácteas e biscoitos recheados e
• Evite redes fast-food.
Não existe comida melhor que aquela preparada em casa, com amor, que espalha cheirinho pela cozinha. Não existe comida melhor que aquela compartilhada com a família sentada à mesa, batendo papo. Nenhum produto ultraprocessado é melhor que uma sopa, uma salada, arroz, feijão, macarronada e legumes refogados na hora. Seja consciente e incentive seu filho a valorizar todos os prazeres da alimentação, a valorizar comida de verdade!

Fonte: Guia Alimentar para a População Brasileira, 2014.

Camila Carrara
Nutricionista
Mestranda em Saúde Coletiva/UFJF
Pós-Graduanda em Nutrição Clínica e Desportiva/FacRedentor (IESPe)

 

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply