Desenvolvimento Filhos

Estimulando o bebê – força, equilíbrio e coordenação motora

13 de outubro de 2016

Como não nos sentirmos ansiosos pelos primeiros passos do bebê, não é mesmo? É muito gostoso acompanhar cada movimento, cada mudança, cada conquista… Que delícia! Nos primeiros 24 meses, as mudanças no desenvolvimento motor são muitas e influenciam por toda a vida do bebê. Durante os seus primeiros anos, os progressos em relação ao desenvolvimento costumam obedecer a uma seqüência ordenada, mas, claro, existem padrões característicos de desenvolvimento que dependem do próprio bebê e do meio onde ele vive.
Tenho percebido a ansiedade de muitas mamães em relação aos primeiros passinhos dos seus pimpolhos, então, hoje estou aqui mais como fisioterapeuta, do que como mamãe, trazendo pra vocês um pouquinho do que pode ser feito para que o bebê, mesmo aquele mais “preguiçoso”, possa ser estimulado!
Em primeiro lugar, acho muito importante que a mamãe tenha um conhecimento do que o bebê pode ser capaz de fazer em cada mês de vida! Aqui falo um pouquinho sobre isso (bem pouquinho) e você pode acompanhar também por aqui! É importante deixar claro que algumas crianças demoram mais para conseguir andar, mas não há motivos para preocupações! Os primeiros passos podem ser esperados até os 18 meses de vida, a partir daí, se o bebê não apresentar os movimentos, é aconselhável que os papais procurem um profissional para uma avaliação mais criteriosa! Ok? Outra coisa gente: nada de comparações! Vejo mamães se descabelando, sem necessidade, porque o filho da amiga começou a andar aos 11 meses de vida! Lembrem-se: cada bebê tem o seu tempo e é preciso respeitá-lo!
Bom, continuando…
Diga não ao andador! Seu bebê não precisa dele! Pra nada… Por mais que pareça seguro, não o é. O andador oferece grande perigo à criança, uma vez que permite que ela atinja uma maior velocidade, aumentando o risco de acidentes, como um traumatismo, por exemplo. E ainda, o bebê precisa e deve passar por todas as fases do desenvolvimento, e colocá-la de pé antes do tempo pode causar sobrecarga em seus MMII (pernas). Alguns profissionais acreditam que o equipamento atrapalha o desenvolvimento do equilíbrio e da marcha das crianças. Em alguns lugares, a venda do produto já foi até proibida. Fui questionada em relação ao uso dos carrinhos de empurrar (chamados tutores), e na minha opinião, eles são menos prejudicais do que os andadores, mas também tenho lá as minhas ressalvas em relação à eles, pois o risco de quedas existe e, por isso, pode ser também perigoso.
Existem várias maneiras de estimular um bebê e, com elas, podemos transmitir confiança e maior coordenação à ele, principalmente quando está deixando de engatinhar. Abaixo, trago algumas recomendações de especialistas, inclusive minhas também (como fisioterapeuta) para que as mamães e papais possam ajudar seu bebê nessa fase da vida. Preparados? Vamos lá!
1 – deixe o bebê descalço! Os estímulos táteis são muito importantes para o desenvolvimento da percepção do próprio corpo. Sei que agora no inverno isso nos preocupa, então, nessa época, abuse das meias antiderrapantes. Você pode permitir também que ele explore todo o ambiente, descobrindo texturas novas, com os pés e com as mãos! Não preciso dizer que toda essa liberdade tem que ser vigiada né gente? Esteja sempre por perto!
2 – as brincadeiras são ótimas aliadas! Rolar no chão, engatinhar, elevar objetos, apoiar as mãos na parede, brincar de jogar bolinhas, brincar de sentar e levantar… tudo isso traz força e coordenação motora e deve ser começado o quanto antes (claro que cada brincadeira deve ser apropriada à faixa etária da criança).
3 – segure as duas mãos do seu bebê e caminhe com ele! Ele vai adorar! Solte uma mão, depois tente soltar a outra, sem pressa e sem ansiedade! Se ele não responder às suas expectativas, tenha calma e aguarde por mais um tempo.
4 – faça com que ele vá até você, engatinhando ou dando passinhos. Use brinquedos coloridos, com luzes e músicas para atraí-lo e não tente evitar as quedas todas as vezes. É preciso ter atenção, mas as quedas são normais e os bebês precisam vivenciá-las. Às vezes, segurá-lo de uma forma inadequada pode até machucar!
Esteja bastante atento às quinas dos móveis, escadas, objetos pontiagudos e pisos escorregadios.

Pessoal, preciso deixar bem claro que o post foi escrito pensando em crianças com desenvolvimento motor normal. Se o seu bebê apresenta atraso moderado nos movimentos, quando comparado com aquilo que ele já poderia estar apresentando (de acordo com a sua idade), é aconselhável que você procure a ajuda de um profissional. A fisioterapia pediátrica é uma especialidade da fisioterapia que usa de ações terapêuticas para o ganho de amplitude de movimento, força, equilíbrio e coordenação motora das crianças com atraso no desenvolvimento motor ou até mesmo com distúrbios neurológicos. Converse sobre isso com o seu pediatra.

No mais, sem pressa, sem ansiedade e sem neuras… Curta cada segundo ao lado dele, cada conquista! É tudo tão emocionante! Espero que possa ter ajudado algumas de vocês e coloco-me à disposição para quaisquer outras dúvidas que ainda tenham. Se não quiserem deixar comentários, podem me procurar por e-mail, ok?

Beijinhos,

Tati Carvalho

You Might Also Like

5 Comments

  • Reply Ana Carolina 6 de julho de 2015 at 01:54

    Olá.
    Eu adoro suas matérias.
    Gostaria de saber a partir de quantos anos pode se estimular o bebê. Com quantos meses pode deixar ele de pé sem que seja prejudicial.

  • Reply Tati Carvalho 6 de julho de 2015 at 20:41

    Olá Ana! Em primeiro lugar, obrigada pelo carinho! Fico feliz em saber que vc gosta dos meus posts! Então… Sobre a estimulação dos bebês, o importante é você não ter ansiedade e respeitar o tempo da sua criança! Os estímulos podem e devem ocorrer o quanto antes, mas por exemplo, para se colocar uma criança de pé, precisamos saber se ela realmente já está preparada pra isso! Normalmente, as crianças ficam de pé, com apoio, a partir dos 8 meses de idade, mas isso não é regra viu? Algumas fazem isso mais cedo, outras mais tarde! Vc deve, primeiro, ter a certeza de que seu filho já é capaz de assumir essa posição, mesmo que seja com o seu auxílio! Tente fazer a dica 3 do texto acima! Segure nas suas mãozinhas e ande com ele, se ele responder legal, solte uma mão! Mas sem pressa e ansiedade! Espero que tenha respondido sua pergunta! Beijinhos,

  • Reply Rebeca 9 de outubro de 2015 at 21:31

    Olá. Gostei das suas dicas. Tenho uma bebê de 1 ano e 1 mês, ela começou a ficar em pé na semana que ia fazer aniversário, ela não engatinha, só se arrasta com o bumbum, e segurando a nossa mão, ela anda. Como posso fazer pra ela ter equilíbrio? Ou só com o tempo mesmo? Obrigada.

    • Reply Tati Carvalho 13 de outubro de 2015 at 20:33

      Olá Rebeca! Que bom que gostou das dicas! Elas são realmente de grande valia e nos ajudam muito! Em relação à sua bebê, seria necessário uma avaliação detalhada para que eu pudesse falar com exatidão o que você poderia fazer além de tudo o que já tem feito! Como vc disse, se ela já está andando com a sua ajuda, abuse disso, sem, é claro, exagerar! Tenho um outro post aqui que fala sobre o desenvolvimento do bebê em seu primeiro ano de vida… Acho que ele tb pode te ajudar! Dê uma olhada nele… Beijinhos,
      Tati Carvalho

  • Reply Ray Ban Outlet Online Store 11 de outubro de 2015 at 00:03

    Hey very interesting blog!

  • Leave a Reply